TRÁFICO DE DROGAS

Professor recebia R$ 10 mil por semana para guardar drogas

.

20/01/2022 17h11
Por: sudoestemsnews
Fonte: Douradosnews

A Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Fronteira (Defron) de Dourados detalhou a apreensão realizada no fim da manhã desta quinta-feira (20) no município de Ponta Porã, que resultou na prisão do professor de letras, Wálter Manoel Riquelme Britez. 

No local foram apreendidos diversos tabletes de pasta base de cocaína e trazidos para a sede da Defron, em Dourados. A droga totalizou 104.650 quilos.

 
 
 
No imóvel, foram encontrados dentro de caixas de papelão e de isopor centenas de tabletes de pasta base de cocaína. Já os outros indivíduos que estavam no automóvel não possuíam relação com o tráfico.
 
Wálter, que no primeiro momento se identificou como professor de letras, teve o seu contrato de trabalho rescindido pelo município de Ponta Porã em dezembro de 2021.
 
Ele foi preso em flagrante por tráfico de drogas e associação para o tráfico, sendo representado pela decretação de sua Prisão Preventiva.

 

 
 

Conforme as informações policiais, a investigação teve início após o professor de letras da rede de ensino do município de Ponta Porã passar a ostentar, nos últimos meses, um padrão de vida incompatível com a remuneração recebida, de um salário mínimo.

Ele começou publicar fotos de viagens, gastar valores elevados nos bares de Ponta Porã e Pedro Juan Caballero, além de se identificar como amigo de patrões do tráfico de drogas.

Nesta manhã, durante monitoramento no imóvel onde estariam sendo armazenadas as drogas, os policiais identificaram quando o investigado parou um automóvel GM Celta, de placas paraguaias na frente do local, onde adentrou e logo em seguida saiu carregando uma caixa de isopor.

Diante de indícios de que drogas estavam no interior da caixa os policiais abordaram o automóvel, no qual, além do investigado, encontravam-se duas outras pessoas.

Na caixa de isopor não foram encontradas drogas, entretanto, o rapaz relatou que a mãe dele, residente na Espanha e proprietária do imóvel, não possuía relação com o “b.o.” que estava no interior  da residência.

Logo o jovem afirmou que guardava para “desconhecidos” tabletes de pasta base de cocaína e recebia R$ 10 mil por semana por essa empreitada.

No imóvel, foram encontrados dentro de caixas de papelão e de isopor centenas de tabletes de pasta base de cocaína. Já os outros indivíduos que estavam no automóvel não possuíam relação com o tráfico.

Wálter, que no primeiro momento se identificou como professor de letras, teve o seu contrato de trabalho rescindido pelo município de Ponta Porã em dezembro de 2021.

Ele foi preso em flagrante por tráfico de drogas e associação para o tráfico, sendo representado pela decretação de sua Prisão Preventiva.