LITURGIA DIÁRIA

1ª Semana do Advento | Santo André, apóstolo | Terça-feira

Jesus precisa de pescadores para a sua companhia de pesca

30/11/2021 06h04
Por: William Escobar
Fonte: Canção Nova
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Primeira Leitura (Rm 10,9-18)

 

Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos.

 

Irmãos, 9se, com tua boca, confessares Jesus como Senhor e, no teu coração, creres que Deus o ressuscitou dos mortos, serás salvo. 10É crendo no coração que se alcança a justiça e é confessando a fé com a boca que se consegue a salvação. 11Pois a Escritura diz: “Todo aquele que nele crer não ficará confundido”. 12Portanto, não importa a diferença entre judeu e grego; todos têm o mesmo Senhor, que é generoso para com todos os que o invocam. 13De fato, todo aquele que invocar o Nome do Senhor será salvo. 14Mas como invocá-lo, sem antes crer nele? E como crer, sem antes ter ouvido falar dele? E como ouvir, sem alguém que pregue? 15E como pregar, sem ser enviado para isso?

 

Assim é que está escrito: “Quão belos são os pés dos que anunciam o bem”. 16Mas nem todos obedeceram à Boa Nova. Pois Isaías diz: “Senhor, quem acreditou em nossa pregação?” 17Logo, a fé vem da pregação e a pregação se faz pela palavra de Cristo. 18Então, eu pergunto: Será que eles não ouviram? Certamente que ouviram, pois “a voz deles se espalhou por toda a terra, e as suas palavras chegaram aos confins do mundo”.

 

- Palavra do Senhor.

 

- Graças a Deus.

Responsório (Sl 18)

 

— Seu som ressoa e se espalha em toda a terra.

 

— Seu som ressoa e se espalha em toda a terra.

 

— Os céus proclamam a glória do Senhor, e o firmamento a obra de suas mãos; o dia ao dia transmite esta mensagem, a noite à noite publica esta notícia.

 

— Não são discursos nem frases ou palavras, nem são vozes que possam ser ouvidas; seu som ressoa e se espalha em toda a terra, chega aos confins do universo a sua voz.

Evangelho (Mt 4,18-22)

 

— O Senhor esteja convosco.

 

— Ele está no meio de nós.

 

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.

 

— Glória a vós, Senhor.

 

Naquele tempo, 18quando Jesus andava à beira do mar da Galileia, viu dois irmãos: Simão, chamado Pedro, e seu irmão André. Estavam lançando a rede ao mar, pois eram pescadores. 19Jesus disse a eles: “Segui-me, e eu farei de vós pescadores de homens”. 20Eles imediatamente deixaram as redes e o seguiram. 21Caminhando um pouco mais, Jesus viu outros dois irmãos: Tiago, filho de Zebedeu, e seu irmão João. Estavam na barca com seu pai Zebedeu, consertando as redes. Jesus os chamou. 22Eles imediatamente deixaram a barca e o pai, e o seguiram.

 

— Palavra da Salvação.

 

— Glória a vós, Senhor.

HOMILIA

Jesus precisa de pescadores para a sua companhia de pesca

“Quando Jesus andava à beira do mar da Galileia, viu dois irmãos: Simão, chamado Pedro, e seu irmão André. Estavam lançando a rede ao mar, pois eram pescadores. Jesus disse a eles: “Segui-me, e eu farei de vós pescadores de homens” (Mateus 4,18-19).

Estamos celebrando Santo André, irmão de Simão Pedro. Entre os quatro primeiros discípulos de Jesus está André, aquele inclusive que viu Jesus primeiro do que Pedro Simão, seu irmão. E foi ele, inclusive, que chamou Simão para seguir Jesus. André fez a maior descoberta da sua vida, ele descobriu quem era o Messias, descobriu quem era Jesus. André era trabalhador como eu, como você, como tantos. André estava em busca das suas riquezas e dos seus bens. André era um bom pescador, ele jogava suas redes, pegava peixe, hora não pegava, mas estava lá.

Tem hora que o nosso trabalho é assim: tem hora que dá êxito, tem hora que não dá. E o que nós buscamos? É apenas ganhar o pão de cada dia? É apenas aumentar a nossa renda, o dinheiro que ganhamos? Quando, no fim, o pouco ou o muito que ganhamos passa.

Deus nos trouxe a vida eterna em Jesus, e Ele está precisando de pescadores para a sua companhia de pesca

Não podemos passar sem trabalhar, é verdade, precisamos ganhar o pão com o suor do nosso rosto. André, Simão, Tiago, João também o fazia, mas esses homens buscavam sentido para a vida, e André encontrou em Jesus o sentido para a sua vida.

Quando, na outra narrativa evangélica, ele disse a Simão “Encontramos o Messias” (João 1,41), ele disse: “Encontrei o Salvador, encontrei o homem que vai dar o sentido e a direção para tudo que faço”. Ele era pescador, e Jesus olhou nos seus olhos e disse: “Vinde até mim e eu te farei de vós pescadores de homens”, não é menos importante pescar peixes, porque o trabalho de cada, o ofício de cada um é para o sustento para essa vida presente, mas nós precisamos trabalhar para conquistar a vida eterna, precisamos trabalhar para conquistar as pessoas para a eternidade, é por isso que, além do ofício que cada um realiza no seu campo de trabalho, na sua missão que lhe é específica, Jesus tem um chamado como fez a André: “Vinde até mim e te farei pescador de homens”.

Tem pessoas que, no seu trabalho, conquistam pessoas para os seus produtos, para os seus negócios. Todo trabalho é uma conquista. Você precisa de clientes, você precisa atingir as suas metas… Todo trabalho exige dedicação. Não deixe de trabalhar e de cumprir sua missão e suas obrigações, mas não se esqueça que há uma missão mais nobre precisando de você: conquistar os homens para Deus e conquistar a vida eterna para os homens.

Deus nos trouxe a vida eterna em Jesus, e Ele está precisando de pescadores para a sua companhia de pesca, para que levemos homens e mulheres a amar o Evangelho, porque é Ele que nos dá a vida eterna.

Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo - Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.

SANTO DO DIA

Santo André Apóstolo

A Igreja está em festa, pois celebramos, hoje, a vida de um escolhido do Senhor para pertencer ao número dos Doze Apóstolos: Santo André.

André nasceu em Betsaida, no tempo de Jesus, e de início foi discípulo de João Batista até que aproximou-se do Cordeiro de Deus; e, com São João, começou a segui-Lo, por isso, André é reconhecido pela Liturgia como o “Protocleto”, ou seja, o primeiro a ser chamado: “Primeiro a escutar o apelo, ao Mestre, Pedro conduzes; possamos ao céu chegar, guiados por tuas luzes!”.

A Liturgia conta que, quando Jesus se apresentou pela segunda vez na região do Jordão, onde João Batista batizava, ele exclamou: “Eis o Cordeiro de Deus”. “No dia seguinte, estava lá João outra vez com dois dos seus discípulos. E, avistando Jesus que ia passando, disse: ‘Eis o Cordeiro de Deus’” (João 1,35-36). André e João, ouvindo essas palavras, decidiram deixar tudo para seguir Cristo.

Santo André se expressa no Evangelho como “ponte do Salvador”, porque é ele quem se coloca entre seu irmão Simão e Jesus. “Foi ele então logo à procura de seu irmão e disse-lhe: “Achamos o Messias (que quer dizer o Cristo)” (João 1,41).

Segundo a narrativa de São João, este foi o primeiro encontro de André com Jesus. Entretanto, André e Pedro não ficaram definitivamente com o Senhor, voltando às suas ocupações de pescadores. Dias depois, Jesus passava pelo Lago de Tiberíades e avistando os irmãos pediu que eles O seguissem. “Caminhando ao longo do mar da Galileia, viu dois irmãos: Simão (chamado Pedro) e André, seu irmão, que lançavam a rede ao mar, pois eram pescadores. E disse-lhes: ‘Vinde após mim e vos farei pescadores de homens’” (Mateus 4,18-19). Deu-se a partir dessas palavras o chamamento oficial de André como apóstolo junto com seu irmão Pedro.

Poucas menções foram registradas no Evangelho sobre Santo André. A primeira delas é a multiplicação dos pães e peixes. Jesus interpela Filipe sobre a possibilidade de alimentar uma grande multidão, e André intervém dizendo: “Está aqui um menino que tem cinco pães de cevada e dois peixes… mas que é isto para tanta gente?” (João 6,9).

Conta a tradição que, depois do Batismo no Espírito Santo em Pentecostes, Santo André teria ido pregar o Evangelho na região dos mares Cáspio e Negro, a fim de pregar o Evangelho pelo mundo afora.

Apóstolo da coragem e da alegria, Santo André foi fundador das igrejas na Acaia, onde testemunhou Jesus com o seu próprio sangue, já que foi martirizado numa cruz em forma de X por volta do ano 60, a qual recebeu do santo este elogio: “Salve Santa Cruz, tão desejada, tão amada. Tira-me do meio dos homens e entrega-me ao meu Mestre e Senhor, para que eu de ti receba o que por ti me salvou!”.

Santo André Apóstolo, rogai por nós!