ARTESANATO

Réplica da Igreja Matriz de Aquidauana representa o município na Feira do Artesão Livre

A obra de arte envolveu a utilização de 8.200 palitos e seis litros de cola

25/11/2021 07h30
Por: William Escobar
Fonte: AsseCom Aquidauana
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O município de Aquidauana está participando da 14ª Edição da Feira do Artesão Livre - Especial de Natal, que acontece em formato virtual. A feira começou ontem (24) e tem o encerramento hoje (25), das 9h às 18h, e foi organizado pelo Ministério Público em parceria com instituições parceiras e visa à comercialização de artesanatos confeccionados por cidadãos privados de liberdade, durante a execução da pena.

Representando o município de Aquidauana está em exposição a réplica da Paróquia Nossa Senhora Imaculada Conceição, construída pelo artesão Edmar Moreira Silva, interno do Estabelecimento Penal de Aquidauana. O EPA também mantém parceria com a Prefeitura de Aquidauana na confecção de lajotas pelos detentos, para pavimentação de ruas da cidade.

Com riqueza de detalhes, a obra de arte envolveu a utilização de 8.200 palitos e seis litros de cola, além de centenas de horas de trabalho e dedicação, com muito talento e criatividade réplica da Matriz de Aquidauana está entre os 500 artesanatos que estão à venda na 14ª Feira do Artesão Livre.

Quem quiser participar e conferir tudo, acesse o link disponível: (https://chat.whatsapp.com/F4XrPyyajPj4cl9VK0Tyr9), para entrar no grupo da Exposição, que conta com várias opções de presentes de Natal e peças com valores entre R$ 20,00 e R$ 1.200,00.

Conforme informou o diretor do Estabelecimento Penal de Aquidauana, Cláudio dos Reis Alviço, a réplica da Igreja Matriz foi feita por somente um interno e possuí detalhes na iluminação interna e de dentro da igreja, como os bancos e adornos. "A réplica está na sede da AGEPEN em Campo Grande e é tão bonita, que chama a atenção de todos, que passam e tiram fotos dela", completou o diretor.

A iniciativa da feira é proporcionar ao interno a aprendizagem de um novo ofício, que possa ser a semente de uma vida longe da criminalidade; auxílio no próprio sustento e de suas famílias; o cumprimento da pena de forma mais rápida, em razão da remição dos dias trabalhados; a elevação da autoestima, mediante a sensação da utilidade da pena como retorno social de boas ações; e a diminuição do ócio, além de, mostrar à sociedade que o preso também pode, enquanto cumpre pena, fazer algo útil e devolver boas ações à população.